Risco de colisão quase duplica com apenas 1 a 2 horas a menos de sono

Um novo relatório destaca os perigos de se dirigir com déficit de sono após a descoberta de que a falta de apenas 1 a 2 horas de sono num período de 24 horas pode quase dobrar o risco de colisão veicular.

Além disso, a pesquisa da AAA Foundation for Traffic Safety revela que os motoristas são mais de 11 vezes mais propensos a falhas se tiverem menos de 4 horas de sono no período de 24 horas.

O Dr. David Yang, diretor-executivo da entidade, e colegas ressaltam que o relatório demonstra que a condução após usufruir menos do que as 7 horas de sono recomendadas a cada noite “pode ter consequências fatais.”

É bem sabido que a privação de sono pode levar a sonolência e a concentração reduzida. Para os condutores, a falta de sono pode reduzir a capacidade de prestar atenção à estrada, o tempo de reação e afetar a capacidade de tomar decisões sensatas.

Uma pesquisa anterior da  AAA Foundation for Traffic Safety revelou que 97 por cento dos condutores consideram a sonolência ao dirigir um “comportamento completamente inaceitável”, que coloca a segurança de si próprios e aos outros em risco.

Entretanto, apesar de saberem dos riscos de se dirigir com sono, cerca de 1 em cada 3 motoristas relata ter dirigido enquanto sonolento, e cerca de 1 em cada 25 relata ter adormecido ao volante no mês anterior.

Tal comportamento pode ter consequências devastadoras. De acordo com o Centers for Disease Control and Prevention (CDC), a sonolência na condução veicular foi responsável por cerca de 72.000 colisões, 44.000 feridos e 800 mortes em 2013.

Nessa nova pesquisa, a AAA Foundation for Traffic Safety delimita a extensão em que a falta de sono aumenta o risco de um acidente automobilístico.

Brian C. Tefft, pesquisador associado sênior da entidade, e colegas analisaram dados do National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA) e do National Motor Vehicle Crash Causation Survey (NMVCCS).

Esta pesquisa forneceu informações sobre 7.234 motoristas dos EUA que envolveram-se em 4.751 acidentes de trânsito entre julho de 2005 e dezembro de 2007. Todas as batidas foram reportadas à polícia e envolveram o envio de serviços médicos de emergência.

Como parte da investigação sobre cada acidente, os motoristas foram solicitados a relatar os tempos de início e fim de qualquer episódio de sono que realizaram nas 24 horas anteriores ao acidente, inclusive as siestas que duraram pelo menos 30 minutos.

Usando essa informação, os pesquisadores foram capazes de calcular a quantidade total de sono que cada motorista teve durante o período de 24 horas e estimaram como isso contribuiu para seu risco de acidente.

Os resultados revelaram que os condutores que tiveram 6-7 horas de sono durante 24 horas foram 1,3 vezes mais propensos a ter um acidente automobilístico do que aqueles que dormiram o recomendado de 7 horas ou mais.

Os motoristas que tiveram 5-6 ou 4-5 horas de sono em um período de 24 horas foram 1,9 vezes e 4,3 vezes mais propensos a se envolverem num acidente, respectivamente, enquanto os motoristas que tiveram menos de 4 horas de sono apresentaram 11,5 vezes maior risco de acidente.

Enfatizando a gravidade da sonolência à condução, Dr. Yang diz que os resultados mostram que um motorista que teve menos de 5 horas de sono “tem um risco de acidente comparável a alguém dirigindo bêbado.”

Tefft e sua equipe pontuaram algumas limitações de seus achados. Por exemplo, os tempos de sono foram auto-relatados por motoristas e podem estar sujeitos a imprecisões. Além disso, houve falta de dados confiáveis para o uso de drogas e álcool dos motoristas que possam afetar a segurança na direção.

Ainda assim, os pesquisadores acreditam que suas descobertas ajudam a quantificar os riscos de se dirigir com sono e devem servir como um alerta para os indivíduos que pensam encarar as rodas após uma noite de sono ruim.

Dicas para evitar dirigir sonolento

Bocejar ou a piscar com frequência, problemas para conseguir manter os olhos abertos, dificuldade para lembrar dos últimos quilometros, errar uma saída ou desvio podem ser sinais de alerta de condução com sonolência.

No entanto, a AAA Foundation for Traffic Safety ressalta que mais da metade dos motoristas que estiveram envolvidos em acidentes de trânsito relacionados à fadiga referem não ter apresentado nenhum sintoma antes de adormecer ao volante.

Como tal, a entidade recomenda tomar uma série de medidas para evitar sonolência ao dirigir:

  • Obter pelo menos 7 horas de sono a cada noite;
  • Para viagens mais longas, preferir horários que já está acostumado a ficar acordado;
  • Realizar uma pausa a cada 2 horas, ou a cada 160 quilometros;
  • Evitar o uso de medicamentos que possam causar sonolência antes de dirigir;
  • Viajar com um passageiro acordado e, se possível, revezar-se na condução.

Referências:

Honor Whiteman

“Vehicle crash risk nearly doubles with just 1-2 hours less sleep”

Medical News Today

Brian C. Tefft

“Acute Sleep Deprivation and Risk of Motor Vehicle Crash Involvement”

AAA Foundation for Traffic Safety