O Ronco

O ronco é um som respiratório gerado na via aérea superior durante o sono que normalmente ocorre durante a inspiração, mas também pode ocorrer na expiração. O ronco aqui descrito ocorre sem episódios de apneia, hipopneia, RERAs ou hipoventilação.

A intensidade do ronco pode variar, e muitas vezes irá perturbar o sono do parceiro de cama, e até mesmo despertar o próprio paciente. O ronco neste contexto não causa sintomas de sonolência diurna ou insônia no paciente. Este tipo de ronco tem sido várias vezes referido como ronco habitual, primário ou simples.

O ronco é um sintoma fundamental da apneia obstrutiva do sono. A designação de ronco habitual não pode ser feita naqueles que apresentam sintomas (sonolência diurna / fadiga ou outros sintomas relacionados) ou relatos de possíveis pausas respiratórias, sem mensuração objetiva da respiração durante o sono. Além disso, os indivíduos com ronco e doença cardiovascular comórbida (especialmente hipertensão pulmonar ou sistêmica, doença arterial coronariana ou fibrilação atrial) estão em maior risco para a presença de Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), mesmo na ausência de queixas de sonolência diurna. Portanto, PSG laboratorial ou domiciliar é necessária para efetivamente excluir a apneia obstrutiva do sono (AOS) em tais populações. Também deve ser observado que os pacientes que inicialmente têm ronco isoladamente podem estar em risco de desenvolver AOS com o envelhecimento ou ganho de peso.

O ronco ocasional é quase universal. Estimativas sobre o ronco variam muito, dependendo da sua definição. A incidência de ronco em crianças é relatada entre 10% a 12%. O estudo coorte de Wisconsin relata ronco habitual em cerca de 24% das mulheres e 40% dos homens adultos. A prevalência de ronco aumenta com a idade em ambos os sexos, mas começa a diminuir novamente nos homens após os 70 anos de idade, quando alguns teorizam que isso possa ser devido à diminuição da acuidade auditiva em indivíduos mais velhos.

O ronco é mais comum em homens adultos e também está ligado à obesidade. A obstrução nasal aumenta o risco de ronco. A ingestão de álcool, relaxantes musculares, narcóticos ou outras substâncias que diminuem o tônus muscular das vias aéreas superiores predispõem um indivíduo a roncar. Fumar, particularmente em homens, também tem se mostrado um fator de risco. O aumento do ronco também é constatado durante a gravidez. Em crianças, foi relatada associação entre ronco e hipertrofia de amigdalas e adenoides.

Durante o ronco, há vibração da úvula e do palato mole, embora também possa envolver os pilares amigadalianos, paredes faríngeas e estruturas inferiores. Os roncadores demonstraram ter alterações morfológicas do palato consistentes com lesões neurogênicas, provávelmente devido ao trauma da vibração. Quando a PSG é realizada, o ronco tende a ser mais alto durante a fase N3 do sono ou sono REM.

Estudos epidemiológicos são difíceis de interpretar se a apneia do sono não foi excluída pela PSG. Com base na literatura atual, o ronco habitual em crianças pode estar associado ao pior desempenho escolar, mas ainda falta evidência conclusiva para isso.

Alguns estudos sugerem que os roncadores adultos podem ter uma maior prevalência de doença cardiovascular, incluindo hipertensão, acidente vascular cerebral e cardiopatia isquêmica, no entanto, um grande estudo observacional, em que todos os pacientes foram submetidos à PSG, não encontrou aumento do risco de morbidade ou mortalidade cardiovascular com o ronco habitual. De interesse, uma pesquisa descobriu que o ronco estava associado à aterosclerose da artéria carótida, mas isso não foi confirmado por outros estudos.

Como o ronco tende a aumentar durante a gravidez, o impacto do ronco na saúde materna é de grande interesse. Outro estudo descobriu que o ronco habitual na gravidez (mas não o ronco crônico) esteve associado a um risco aumentado de hipertensão gestacional e pré-eclâmpsia. São necessários mais estudos nesta área.

Referência:

International Classification of Sleep Disorders, ICSD 3, 2014

Sleep Related Breathing Disorders, Isolated Symptoms and Normal Variants

“Snoring”