Como saber se você teve uma boa noite de sono

Existe frequentemente uma discrepância entre o relato de como as pessoas percebem como dormiram durante a noite e os resultados dos monitores do sono.

Afinal de contas, como podemos saber se tivemos uma boa noite de sono ou não?

A qualidade do sono

De acordo com a National Sleep Foundation, mais de um terço dos americanos afirmam que sua qualidade do sono é deficitária ou apenas razoável.

O que determinaria a qualidade do sono?

Em uma pesquisa de 2017 publicada no periódico Sleep Health, a National Sleep Foundation reuniu uma equipe de especialistas em sono para definir o que seriam indícios de um sono de boa qualidade.

Aqui estão alguns conceitos aceitos pelo grupo:

. Fatores que contribuem para a boa qualidade do sono em adultos:

  • adormecer em 30 minutos ou antes;
  • acordar uma vez por noite por menos de 5 minutos;
  • dormir por 85% ou mais do tempo total em que se permanece na cama;
  • ficar acordado durante a noite por menos de 20 minutos.

Fatores que contribuem para a má-qualidade do sono:

  • demorar mais de 1 hora para adormecer;
  • acordar em quatro ocasiões ou mais;
  • dormir por menos de 74% do tempo em que se permanece na cama;
  • ficar acordado por 41 minutos ou mais durante a noite.

Curiosamente, o editorial que acompanha o artigo destaca a dificuldade de se mensurar a qualidade do sono pois trata-se de uma “experiência subjetiva”.

“Nossas descobertas destacam a natureza multidimensional e a complexidade da qualidade do sono”, concluem os autores do relatório da National Sleep Foundation.

Então, porque esses parâmetros são contraditórios em relação à nossa percepção individual de qualidade do sono?

Os monitores do sono contradizem o que você sente

Um estudo publicado no periódico Behavioral Sleep Medicine observou 50 participantes por 2 semanas.

A qualidade do sono percebida por cada indivíduo foi registrada em diários de sono e comparada com as medidas tomadas por um monitor de sono de pulso ou actígrafo.

O estudo descobriu que dois fatores principais contribuíram para a percepção da qualidade de sono dos participantes: a duração do tempo de sono na noite anterior e o número de vezes que a pessoa acordou durante a noite.

Curiosamente, os autores comprovaram que “a relação entre as características de sono baseadas na actigrafia e a qualidade do sono perceptível foi apenas modesta”, portanto, o monitor de sono pode mostrar que aferiu uma boa noite de sono, mesmo assim o indivíduo pode acordar sentindo-se atordoado.

“Se poderemos usar os dados do monitor para nos convencermos de que o sono foi melhor do que pensávamos ser, trata-se de uma questão que nossa equipe ainda gostaria de ser respondida no futuro. Por enquanto, nossa percepção da qualidade do sono permanecerá exclusivamente pessoal”, relatam.

Conclui-se, entretanto, como é importante ter em mente o quão rápido demoramos para adormecer, com que frequência acordamos durante a noite e quanto tempo ficamos acordados, bem como o quão bem dormimos a noite anterior, antes de lançarmos nosso veredito sobre a qualidade de sono da noite passada.

Referência:

Yella Hewings-Martin PhD

“How to tell if you’ve had a good night’s sleep”

Medical News Today